18 de set de 2014

Saiba a hora certa de trocar os pneus

1 comentários
Assim como um jogador de futebol não se arrisca entrar em campo com as chuteiras em mau estado, os veículos também não devem se aventurar com os pneus precisando de reparos ou trocas. Alguns sinais básicos e outros ocultos devem ser levados em conta, pois o mau funcionamento dos pneus compromete diretamente todo o desempenho do carro.

pneus novos
Os sulcos dos pneus, por exemplo, devem ser observados com frequência. Eles indicam o desgaste da borracha e alertam quando os pneus devem ser trocados. Além de ser proibido pelas leis de tráfego, rodar com pneus gastos podem trazer sérios riscos aos ocupantes do veículo. Os sulcos são os corredores por onde passa água quando o pneu está girando em contato com o solo e existem entre as bandas de borracha.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelece que o sulco deve ter no máximo 1,6 milímetros de profundidade. Mais baixo que isso, o motorista é multado em R$ 127 e leva cinco pontos na carteira.  Além disso, os fabricantes estimam que quando o sulco tem 3 milímetros de profundidade os pneus perdem a performance e a aderência trazendo perigo ao motorista e passageiros.

Para evitar multas e riscos, o responsável deve revisar a situação dos pneus a cada 10 mil quilômetros rodados no mínimo, observando sempre balanceamento, geometria e suspensão. Outra sugestão dos especialistas é alternar os pneus dianteiros com os traseiros a cada 10 mil quilômetros para evitar o desgaste desproporcional, considerando que os da frente perdem mais borracha do que os de trás.

Além dos sulcos, é importante saber que os pneus têm “prazo de validade”. Segundo a direção comercial deste site especializado em venda de pneus, a indicação dos fabricantes é de que a validade do componente é de cinco anos. A partir disso, é comum ocorrer ressecamento ou decomposição da borracha que resultam em uma complicação maior.

Em casos de pneus furados, a alternativa conhecida como “Macarrão” só deve ser realizada caso o veículo tenha condições de chegar a uma oficina especializada. O correto é que o reparo seja feito em uma oficina onde um especialista vai vulcanizar a área danificada.

Outra prática comum antes das trocas definitivas é a utilização da recauchutagem. Porém, é importante lembrar que essa reforma só é permitida para veículos pesados e mesmo assim com algumas limitações. Ela só deve ser realizada duas vezes e somente no eixo traseiro. A realização em locais não credenciados pode resultar na explosão do pneu ou na decomposição da borracha, causando inclusive acidentes fatais.

Para conservar os pneus, o motorista deve calibrar, alinhar e realizar manutenção do balanceamento do veículo a cada 10 mil quilômetros e um rodízio dos pneus também no mesmo período. É importante também que o condutor tenha ciência que o correto seria a troca dos quatro pneus ao mesmo tempo e não apenas dois, como é feito pela maioria.


One Response so far

  1. Orlando says:

    Boa dica, é sempre melhor comprar pneus novos, nunca compre um pneu usado porque voce não poderá saber o estado que o pneu esta....

Deixe seu comentário

Atenção para algumas regras:
-Sem spam;
-Sem ofensas;
-Sem anúncios.


Cumprindo essas regras, você está livre para comentar!